Domingo, 22 de Fevereiro de 2009

Desde a histórica campanha de Obama à presidência dos E.U.A. sob o slogan "Yes We Can" que o agora 44º presidente se referia aos valores intimamente defendidos pelos patriarcas americanos. Mas houve um presidente que Barack Obama teve o cuidado de incluir cirurgicamente no legado de um "dos seus" na parte da campanha mais elitista virada para os temas económicos. O seu nome: Franklin Delano Roosevelt.
 
Para conseguir passar o tão badalado Plano de Estímulo Económico, Obama voltou à carga com os slogans demagógicos desta vez da autoria do "salvador" da Grande Depressão:
 
«A única coisa que devemos temer é o próprio medo»
A verdade é que Roosevelt usou a Grande Depressão como pretexto para expandir o governo em todas as direcções. 2 exemplos dessa expansão foram as organizações criadas pela sua administração; a National Recovery Administration e a Public Works Administration, esta última que servia para criar postos de trabalho relacionados com a construção de edifícios públicos, o mesmo que Obama está a tentar implementar.
 
Na altura, 6 mil de milhões de dólares foram gastos sem que se conseguisse resolver significativamente o problema do desemprego. Leis agrícolas foram aprovadas no sentido dos agricultores produzirem menos, sem olvidar que durante a Grande Depressão a fome era muito mais que um isolado caso de minorias.
 
O governo colocou mais dinheiro nas mãos de Roosevelt do que noutra altura da história dos E.U.A. Agora, Obama prepara o seu país para uma nova Grande Depressão e com isso reserva para os seus filhos uma factura que provavelmente, durante a sua vida, não saberá quais os seus valores reais. É uma questão de segurança para as gerações futuras, mas Obama parece dizer: "Quem vier atrás que feche a porta..." John McCain, por diversas vezes alertou que aquilo que Obama pretendia fazer era um roubo geracional, mas poucos deram ouvidos ao velhote.
 
Hugo Chavez foi criticado por nacionalizar os poços de petróleo venezuelanos. Com que direito tem esta administração criticar Chavez se estão a preparar-se para fazer o mesmo com os seus bancos?!
 
Dá-me a sensação que Obama está numa fase deslumbramento com os cofres do estado e esquece-se que os Estados Unidos da América não são a terra dos resultados iguais mas sim a terra das oportunidades iguais. Obama insiste na mensagem de que o Estado é a única resposta para combater esta crise e aproveita-se do medo para fazê-la passar. 
 
Apesar de não concordar com os mais conservadores que classificam Obama de socialista, gostaria de deixar uma citação da Sra. Margaret Thatcher:
 
«O problema do socialismo é que um dia acabará por gastar o dinheiro de toda a gente»
 
Apesar de os livros de história não confirmarem, muitos economistas crêem que a Grande Depressão poderia ter sido ultrapassada 7 anos antes, se não tivessem sido implementadas algumas das políticas de Roosevelt. E lembrem-se que para implementar medidas socialistas não é preciso ser socialista, basta querer gastar o dinheiro de todos.
 
Nota: 
Se consideram a imagem exagerada, fiquem a saber que o actual presidente norte-americano é o herói mais admirado no seu país, destronando o próprio messias cristão: Jesus. No estudo elaborado pela Harris Interactive este último detinha o 1º lugar desde 2001, altura em que a votação foi criada. Parece que o povo escolheu um novo "messias".


publicado por Marco Moreira às 14:45
 
Pesquisar neste blog
 
Redes
RSS Facebook Twitter Flickr Videos Sapo
Ligações
este blog utiliza pontos de exclamação!

!!!

 Ilustração de Pedro Vieira

prémio 'best non-english jewish blog' em 2007

Judaica fm

 

blog Judaica fm