Segunda-feira, 28 de Junho de 2010

Richard Zimler numa conversa intimista em forma de entrevista dada à jornalista do DN, Carla Amaro, falou do seu novo livro e um pouco mais da sua vida pessoal. Pessoalmente achei-a muito interessante na sua grande maioria. Principalmente o discurso descerrado com que nos fala da sua vida sentimental ajuda e muito na criação de pontes entre a sociedade tradicional e a comunidade homosexual.

 

Infelizmente não deixa de ser incompreensível a parte final da mesma. A forma como apelida Gaza de gueto, cria um paralelismo ao nível dos revisionistas do holocausto. É perigoso e ele sabe-o bem, melhor que a esmagadora maioria. A experiência que tem de escrever sobre “guetos” deveria garantir-lhe bom-senso… não o teve!

 

Depois apelida também George W. Bush de “analfabeto”. O mesmo quer dizer que a Universidade de Yale, onde W. se formou com Bacharel em Artes não deverá ser uma universidade séria, visto aceitar analfabetos.

 

No que diz respeito à Universidade de Harvard a coisa parece mudar de figura. A Faculdade de Direito da mesma, deve ser boa, pois foi aí que Barack Obama se formou. Zimler confessa gostar de “Obama como pessoa” achando-o muito inteligente e apreciando a sua maneira eficiente de falar (ainda que lendo a partir do video-screen”, digo eu). Já a Harvard Business School, pertencente à mesma Universidade e onde W. fez o seu MBA presumo deixar muito a desejar.

 

Um pouco incoerente, não?



publicado por Marco Moreira às 10:43
Segunda-feira, 14 de Junho de 2010

Depois da “vitória” de Geert Wilders na Holanda, os nacionalistas flamengos conseguem uma vitória sem aspas e sem precedentes na Flandres.

 

A Nova Aliança Flamenga (N-VA), partido separatista liderado por Bart de Wever atraiu votos da coligação cessante do primeiro ministro Yves Leterme, tornando-se a primeira força política na Flandres onde vive a maioria da população (cerca de 60%).

 

Paradoxalmente, a vitória da N-VA poderá conduzir pela primeira vez desde os anos ‘70 um francófono a assumir o posto de primeiro-ministro. Bart De Wever reafirmou este domingo que não está interessado no cargo e garantiu estar “disposto a sacrificar-se” e deixar para um francófono a tarefa de dirigir um governo federal de coaligação… tudo em nome de uma desejada independência flamenga.

 



publicado por Marco Moreira às 10:38
Sexta-feira, 11 de Junho de 2010

» Mais uma excelente crónica de Henrique Raposo no jornal Expresso



publicado por Marco Moreira às 10:36
Sexta-feira, 11 de Junho de 2010

A incitação ao ódio em relação ao estado de Israel há muito que deixou de ser considerado um acto racista. Hoje, felizes daqueles que com orgulho criam um cartoon anti-israel, visto que a componente política anti-sionista é claramente uma mais valia para receberem prémios monetários à conta do “bota-abaixismo” ao estado judaico.

 

Este VIDEOpostado com orgulho pelo Daniel Oliveira no seu Arrastão, entítulado “Israel: Pirates” e concorrente ao Prémio Stuart de Desenho de Imprensa* é um exemplo explícito do que vos falo…

* patrocinado pela Casa de Imprensa e o El Corte Inglés



publicado por Marco Moreira às 10:33
Sexta-feira, 11 de Junho de 2010

 

Geert Wilders foi o grande vencedor das eleições para o parlamento holandês depois de alargar a representação do Partido da Liberdade (PVV) de 9 para 24 lugares, ocupando assim o 3º lugar. O parlamento holandês havia sido dissolvido e decidido ir a eleições antecipadas no passado mês de Fevereiro depois de Jan Peter Balkenende renunciar o mandato devido a desavenças entre os partidos da coligação governamental em relação a um pedido para a prorrogação militar holandesa no Afeganistão.

 

Wilders passou a ter 24 cadeiras no parlamento quando as previsões mais optimistas “apenas” dobravam a votação anterior, isto é, 18 assentos parlamentares. Para tal façanha, Wilders adoptou uma abordagem mais simpática ao voto popular. O discurso contra o islão manteve a sua firmeza, mas abdicou em parte da retórica mais radical da extrema-direita.

 

A promessa do Partido da Liberdade de proibir a entrada de mais muçulmanos no país, negar apoio social a outros imigrantes e introduzir um imposto pelo uso do véu islâmico ofuscou as principais medidas dos habituais partidos do governo, tais como a realização de reformas orçamentárias e redução das dívidas, numa tentativa de poupar a Holanda do pior neste momento de crise conómica.

 

Apesar de somente os liberais não descartarem a possibilidade da entrada do PVV no governo e do alarmismo gerado pelos partidos da esquerda e das associações islâmicas em relação a este resultado, a verdade é que a Holanda votou mais Wilders e menos Islão.



publicado por Marco Moreira às 10:28
Quarta-feira, 09 de Junho de 2010

 

A palavra preferida de Nancy Pelosi é: A Palavra. Já eu fiquei “sem palavras” com esta Ode à Imbecilidade.



publicado por Marco Moreira às 10:21
Terça-feira, 08 de Junho de 2010

O Fundo Monetário Internacional vai propor na reunião dos ministros das finanças do G20 que sejam criados dois novos impostos sobre o sector financeiro. Um deles tem por base ser um suposto contributo à estabilidade financeira sobre as receitas bancárias devidamente ajustado ao risco que assumem e um outro imposto sobre operações financeiras que funcionará mal-comparado um pouco como o IVA.

 

Claro está que são propostas que não irão gerar qualquer consenso. Isto porque o preço das operações, das comissões e outros serviços e taxas vai naturalmente subir graças ao principio da reprodutibilidade. Resultado: os clientes serão certamente os pagadores (in)directos destes impostos, afectando uma vez mais a actividade económica. Aproveitando os “slogans” de responsabilização da crise ao sector bancário, a classe política acha-se no dever de culpar a banca seja do que for, acabando por afectar o núcleo da actividade económico-financeira.

 

Uma vez que na esmagadora maioria dos países o financiamento da economia é garantido pela banca e não pelo mercado de capitais podemos desde já especular sobre quem serão os primeiros a “chorar”.



publicado por Marco Moreira às 09:49
Segunda-feira, 07 de Junho de 2010

Lendária jornalista da Casa Branca, a “liberalíssima” Helen Thomas de 89 anos demite-se depois do video de 27 de Maio ‘10 expôr aquilo que esta pensa em relação aos israelitas:

 

“get the hell out of Palestine” (…) “go home to Germany and Poland”

 

Helen já se mostrou arrependida. Resta saber se é por dizer o que disse ou de ter sido “apanhada” a fazê-lo…



publicado por Marco Moreira às 09:27
 
Pesquisar neste blog
 
Redes
RSS Facebook Twitter Flickr Videos Sapo
Ligações
este blog utiliza pontos de exclamação!

!!!

 Ilustração de Pedro Vieira

prémio 'best non-english jewish blog' em 2007

Judaica fm

 

blog Judaica fm